Roma - Roteiro de viagem para explorar a cidade em 6 dias.

Coliseu de Roma
Coliseu-Acesso principal

Este artigo é parte do nosso roteiro de viagem em Roma e mostra como exploramos a cidade em 6 dias, passando pelos principais pontos turísticos da capital italiana.

 Indecisos de onde passar o Réveillon este ano, eu e meu marido fizemos uma lista de várias cidades italianas que são mais visitadas nesse período, e como já fazia um tempo que falávamos de visitar Roma, aproveitamos essa ocasião.

O primeiro passo para darmos início a nossa exploração, foi elaborar um roteiro bem detalhado, incluindo os principais pontos turísticos da cidade. E já que havíamos pouco tempo e tantos lugares para visitar, tínhamos que achar um hotel bem centralizado, que ficasse entre os pontos de nosso interesse. Então escolhemos um hotel bem charmosinho em via Nacional, perto da Praça Veneza. Assim não precisamos alugar carro e usamos o transporte público pouquíssimas vezes.
Nossa meta era conhecer mais profundamente a cidade:  Visitamos Museus, praças, monumentos e percorremos algumas ruas a pé, observando cada detalhe que só a caminhada é capaz de proporcionar.

Um detalhe muito importante é que o transporte público de Roma nesse período costuma ser lotado, então melhor evitá-lo.

Vai viajar para Roma? Reserve seu Hotel conosco: http://bit.ly/2o5AIlyreserveaqui


O segundo passo foi comprar um Ticket que dá direito a entrada nos principais museus e sítios arqueológicos ( Roma Archeologia card), que pagamos €23.00 para duas pessoas.

Bom, roteiro traçado, ingresso na mão, mochila nas costas, vamos começar:

Dia 1- Palatino, Fórum Romano, Coliseu e Circo máximo 

Coliseu interior -Roma
Coliseu - Parte interna

Nesse primeiro dia, muito ansiosos para  visitarmos tudo, começamos dos pontos turísticos mais próximos de onde estávamos hospedados, que por sinal estão localizados bem perto um do outro. 

De manhã cedo fomos para o Palatino: Um dos Sítios arqueológico mais antigos de Roma. Depois para o  Foro Romano: Centro comercial, religioso e político da Roma Imperial, deixando assim a tarde inteira livre para visitarmos o Coliseu, que na minha opinião merce uma visita mais detalhada, afinal estamos falando do segundo monumento mais visitado ao mundo (segundo o ministério do turismo italiano). 
Percorremos as várias alas internas desse enorme monumento, palco de grandes combates entre gladiadores na época do império romano, depois subimos até o último degrau para admirá-lo lá do alto. 

Fechamos o dia com um ótimo jantar e depois a tradicional festa de  Réveillon no Circo máximo, com show de vários grupos famosos , bailarinos acrobatas, fogos de artifícios e tantas outras atrações. 


Dia 2- Pantheon, Castelo Santo Angelo, Praça Navona e Fontana di Trevi


Castelo Santo Angelo
Castel Sant'Angelo - Entrada principal

Logo cedo passamos no Pantheon: Antigo templo grego, onde estão enterradas diversas personalidades ilustres, um deles é o pintor Rafael.

De lá pegamos um ônibus até o Castel Sant'Angelo, também conhecido como Mausoléu do imperador Adriano. O interior do castelo é encantador e ao mesmo tempo dá um certo frio na barriga, os muros antigos e quase secretos escondem várias alas com muitas subidas e descidas, que nos levam até um terraço, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade.  

Saindo do castelo, seguimos a pé até a Praça Navona, que é sempre cheia de turistas, por ser  umas das praças mais importantes de Roma. Nessa praça está a famosa fonte dei Quattro Fiumi (Fonte dos Quatro Rios): Construída em 1651, a pedido do Papa Innocenzo X. 

 Para encerrar a noite, esticamos mais um pouquinho até Fontana Trevi. 


Dia 3- Vaticano: Basílica e Praça São Pedro 


Basílica São Pedro
 Basílica São Pedro- parte central

Naquele dia o único monumento que conseguimos visitar foi a Basílica São Pedro. Por ser um dos lugares mais visitados de Roma, costuma ter filas realmente longas. Todo mundo quer entrar na Basílica São Pedro, que independente de religião, é uma grande obra arquitetônica que levou 120 anos para ser concluída, e durante esse período passou pelas mãos de grandes artistas como Rafael, Michelangelo e outros menos famosos. 

Ao entrar, a primeira coisa que se nota são as peredes e o teto decorados a mão em cores douradas (há quem diga que é tudo ouro). Na parte central onde acontecem as cerimônias religiosas, tem diversas esculturas importantes, assim como nos corredores laterais. No fundo tem uma pequena escada que leva ao subsolo, onde tem um vasto cemitério subterrâneo, com os túmulos dos Papas e outras pessoas importantes para a igreja católica. 

Terminada a visita já estava anoitecendo, mas ainda deu tempo passear um pouco na praça São Pedro, que também é muito grande e sempre cheia de turistas.


Dia 4- Museu Nacional Romano, Terma de Diocleziano e Praça de Espanha


Termas de Diocleziano
Ruínas Termas di Diocleciano

Quem gosta de história não pode deixar de visitar o Museu Nacional Romano. O mesmo foi criado em 1890 especialmente para recolher as antiguidades encontradas em Roma durante o período de modernização da cidade. Ainda nos dias atuais são encontrados objetos antigos debaixo do solo Romano, que são retirados para serem expostos neste museu.

Caminhar pelas ruas de Roma é como viajar no tempo, seja uma velha casa, ou qualquer escavação recente, cada angulo da cidade revela um pedaço do passado.
.
Outro lugar que conserva grandes fragmentos do passado, são as Termas de Diocleziano. Nós passamos por lá para conferir esse lugar (ou pelo menos o que restou dele), 
que um tempo foi o maior Spa da era Imperial. O complexo termal foi dedicado ao imperador Diocleciano, em 306 e manteve-se operacional até 537. Hoje aloja a Basílica de Santa Maria degli Angeli e dei Martiri e ainda parte do Museu Nacional Romano.


Dia 5- Museu do Vaticano, Capela Sistina e Fontana di Trevi.


Fontana di trevi-Roma
Fontana di Trevi

Mais uma vez voltamos a cidade do Vaticano. Para não pegarmos fila, compramos a visita guiada com um dos tantos vendedores que ficam ali na praça São Pedro. Pagamos €40,00 a pessoa, para visitar o Museu do Vaticano, Capella Sistina e a Basílica São Pedro.

Antes de iniciar o percurso de visitação, o guia explicou um pouco sobre o que veríamos ao interno do museu e Capela Sistina, depois nos conduziu pelos 7 km de salas e corredores, onde são conservadas uma das maiores coleções de arte do mundo, acumuladas durante séculos pelos Papas. Além das obras de arte, os papas conservam também alguns presentes pessoais, como exemplo a camisa da seleção brasileira autografada pelo Pelé a Papa Francesco.

Camisa da seleção para papa francesco
Presente de Papa Francesco

A última e não menos importante visita foi na Capella Sistina, que não é grande, aliás a sua grandeza está mesmo no que ela representa para história da arte. Aqui está o trabalho mais importante e seguramente o mais dificíl de Michelangelo Buonarroti, que levou 4 anos para ser concluído.

Logo na entrada tem um monte de segurança, que passam o tempo todo organizando a fila para não criar tumulto entre as pessoas que disputam um pouco de espaço para poderem olhar a maravilhosa pintura de Michelangelo no teto. Para dar uma idéia da importância da capela; è lá que acontece o Conclave, (escolha do novo Papa), e muitas outras cerimônias oficiais do Papa. 

Depois de mais essa jornada de museu, decidimos caminhar um pouco pela cidade: Passamos por uma das avenidas mais glamourosas de Roma: Via Condotti, que ainda respirava clima de natal. Belíssima! Toda iluminada. 

E assim encerramos a noite mais uma vez  na Fontana de Trevi, um lugar perfeito para visitar a noite; cheio de cascatas iluminadas, lojas, bares, restaurantes, gente, enfim, tudo de bom!  


Dia 6- Ilha Tiberina, Trastevere, Boca da verdade, Jardim das laranjeiras, Praça Veneza.


Ilha tiberina-Roma
Ilha Tiberina

No último dia decidimos fazer um passeio ao aberto. Que  para nosso azar, justo nesse dia chegou uma frente fria de congelar. Mas tudo bem! Quem viaja tem que está disposto a enfrentar tudo não é mesmo?  

 Começamos pela Ilha Tiberina: Um curioso pedaço de terra que se formou no principal rio que atravessa Roma, perto do Capitólio. 

 Ainda nessa região, resolvemos explorar o antigo bairro de Trastevere, um lugar com ruas estreitas em estilo antigo, cheio de restaurantes acolhentes e pequenininhos. E já que estávamos lá aproveitamos para degustar a cozinha local. Na minha opinião, um ótimo lugar para conhecer a vera cozinha Romana. 

A cozinha romana
Pratos da cozinha romana - região de Trastevere

Após o almoço fomos até a misteriosa Bocca della veritá, (boca da verdade em português), que fica ali perto. Mais tarde seguimos para o Jardim das laranjeiras: Um lugar bem alto, ideal para tirar fotos panorâmicas do Coliseu e outros monumentos da região.

De volta para o hotel, ainda paramos para admirar o por do sol na Praça Veneza, uma das praças principais de Roma, e que eu achei uma das mais bonitas também. 

E foi na Praça Veneza que terminou a nossa viagem. Uma viagem que mais do que nunca deixou saudades, vontade de ficar só mais um pouquinho e explorar cada canto da cidade que faltou conhecer. 

 Roteiro:
 Dia 1- Palatino, Fórum Romano, Coliseu e Circo máximo 
 Dia 2- Pantheon, Castelo Santo Angelo, Praça Navona e Fontana di Trevi
 Dia 3- Vaticano: Basílica e Praça São Pedro 
 Dia 4- Museu Nacional Romano, Terma de Diocleziano e Praça de Espanha
 Dia 5- Museu do Vaticano, Capela Sistina e Fontana di Trevi.
 Dia 6- Ilha Tiberina, Trastevere, Boca da verdade, Jardim das laranjeiras, Praça Veneza.

Para mais detalhes desta e de outras viagens,  veja os vídeos lá no canal do you tube:http://bit.ly/2lqDxMxyoutube

Mais fotos da viagem aqui: 

O que você achou deste artigo? 
A sua opinião é muito importante para mim. 


Quer saber mais sobre visitar Roma?  Mande sua pergunta por email.

Arrivederci amici!
 Até a próxima.
LEIA MAIS

Ofertas da Semana

Booking.com

Viaje seguro por aí

Seguro viagem geral 336x280

Alugue um carro por aqui

Curso interativo de Italiano

Curso interativo de Italiano
Conheça! e-books idioma fácil os únicos e-books interativos do mercado com vocabulário de 400 a 800 palavras, mais verbos, expressões, exercícios orais e de escrita adicionais.
Subir